Páginas

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Dez de novembro

Para Erinha Ribeiro


Hoje o dia
é de luz;

de cores e data
definidas.

Outrora surgira
do ventre
a vida —
agora presente
em data comemorativa.

Esta de hoje, menina,
mulher já foi um dia
em berço acordada.

Buscava seu espaço
a cada acalanto;

e a cada ano que se seguia,
ela, menina, ia se espaçando,
como quem se espreguiça
em alvorada.

Até o dia em que
surgira ao longe
um novo canto.

Era o de uma nova vida:
a dois — repartida.

E repartir (ela descobre)
exige rotina.

Exige das retinas
atenção dividida.

Então ela
percebe o quanto
é bom ser amada
em vida.

2 comentários:

Erinha disse...

obrigada pelo presente.

te amo.

Erinha

niltonresende disse...

eeê,
eu sabia que era pra ela.

\o/

beijos em vocês.