Páginas

sábado, 20 de fevereiro de 2010

um encontro

o abotoado
   sorriso

o castiço
   homem
à espera de um
   outro

postiço
  uma cena insólita

  a vista é sofrida

mas vê-se ao fundo do copo
   uma mancha
  disforme

que, dizem,

"aprisiona horas distintas
em nobres uniformes..."


... a espera é tardia
   como o verão

é quente, mas se vale
da frieza dos
    homens

e o homem
 à espera do

outro homem
 continua

desfazendo cinzas
 descascando unhas

mascando o tempo

mas antes
do último trago
(seu veneno)
e antes ainda que
pedisse outra dose

o homem esperado vem
se aproximando

o carro é blindado,
o homem, não.

    os olhos por trás das lentes
(e do bigode)

parecem borrados
   uma nuvem negra os
borda num tom sombrio

 o homem que esperava
    desfaz o bocejo

e toma seu último trago
 antes de ir a
                     o encontro:

um acerto antigo de contas:


"dois mais dois são quatro"

               e ponto

4 comentários:

tazio zambi disse...

Muito bom, cara.

!

Jéssica Oliveira disse...

Muito bom mesmo :D

os ganymedes disse...

lindo, bruno.

-saudades-

nilton.

Bruno Ribeiro disse...

Obrigado, fico feliz e um tanto envaidecido pelos comentários.

Tazio, meu caro, valeu bróder. Você sempre visitando este espaço. Fico feliz.

Jéssica, apesar de não nos conhecermos pessoalmente, é muito bom contar com sua leitura.

Nilton, bom te "ver" por aqui. Amigo, leitor antigo. Abraço.